Ressuprimento preditivo: como funciona essa gestão estratégica de estoques?

Saiba como atingir o equilíbrio no armazenamento de suprimentos e como isso pode ajudar o seu negócio.

Já ouviu falar em ressuprimento preditivo? Essa estratégia faz parte de uma gestão de estoque eficiente e é usada para saber o momento ideal de reabastecer os suprimentos. É o tão sonhado ‘equilíbrio de estoque’ que muitas empresas desejam atingir. Material parado significa dinheiro parado. E isso é igual para todos os segmentos, inclusive para o mundo gráfico. 

Mas se este termo ainda está confuso para você, não se preocupe, vamos explicar. Primeiro falaremos sobre a gestão de estoque de uma forma geral e depois vamos ver sua relação com o ressuprimento preditivo. Vem com a gente e boa leitura!

Qual a relevância da gestão de estoque?

Em primeiro lugar, precisamos falar sobre a gestão de estoque que tem como objetivo alcançar o equilíbrio entre: compras, armazenamento e entregas. Em outras palavras, essa estratégia pode ser a diferença entre o lucro e o prejuízo do seu negócio. O estoque é um espaço de armazenamento temporário de produtos. Onde o objetivo é vender, no menor tempo possível, as mercadorias lá estocadas.

Para isso, tudo precisa ser muito bem documentado para que as entradas, saídas e todo o ciclo da mercadoria sejam acompanhados. Afinal, se um produto fica muito tempo parado, o dinheiro não circula, mas os custos de armazenamento continuam sendo gerados.

Quando se trata de gestão, um dos indicadores de desempenho mais relevantes é o giro de estoque. São todos os aspectos em torno da mercadoria, desde a sua compra, passando pela organização do estoque, promoções até a entrega do produto.

Outro fator importante é manter um inventário atualizado. Que nada mais é do que um controle físico e financeiro do que tem no estoque. Assim, você sempre terá acesso a quantidade disponível de cada item e do valor total que ele representa.

A principal característica da gestão de estoque é proporcionar um panorama geral sobre as suas demandas. Assim, você terá mais controle dos produtos e insumos e evitará excesso ou falta de suprimentos.

Segundo dados da Easy Post, uma boa gestão de estoque pode gerar uma série de resultados positivos para a empresa. No estudo em questão, houve um aumento de 25% na produtividade, um ganho de 20% no espaço e uma melhoria de 30% na eficiência do uso do estoque.

Mas o que é ressuprimento preditivo?

Ressuprimento quer dizer, reabastecimento ou reposição. Já preditivo, se refere à ação de afirmar, antecipadamente, o que poderá ocorrer num momento futuro. Sendo assim, ressuprimento preditivo significa antever o momento de reposição de estoque

Uma pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), apontou a relevância de saber identificar o ponto para ressuprir cada material. Os dados mostraram que a implementação de estratégias específicas fez com que uma indústria de produtos químicos reduzisse seu estoque em 34% num período de quatro meses. Método que possibilitou a alocação do capital da empresa para outras finalidades.

Encontrar o ponto de ressuprimento adequado para a sua empresa vai muito além da redução de custos. Pois pode significar mais investimentos em outras áreas do seu negócio. Sendo assim, para localizar o momento ideal para reabastecer o estoque você pode usar uma fórmula matemática. Ela consiste no número referente à demanda média diária por determinado material (Dm), o intervalo de tempo entre as compras (T) e a quantidade de produtos existentes no estoque de segurança (Es). Observe:

Ponto de Ressuprimento (PR) = Dm x T + Es

O resultado é o ponto de ressuprimento deste determinado produto. Essa fórmula é universal e pode ser aplicada em qualquer negócio.

Como funciona com os suprimentos de equipamentos gráficos?

Já falamos na gestão de estoque como um todo, mas como isso pode afetar a sua empresa? A resposta é simples: uma má gestão dos suprimentos para impressão pode causar um grande dano, como a falta de tinta ou toner, por exemplo. Por isso, fazer o controle do seu estoque de forma inteligente, garante o bom desenvolvimento do seu negócio

Muitas empresas já oferecem sistemas que monitoram continuamente os contratos de outsourcing, uma forma automatizada de gestão de suprimentos. Desta maneira, é possível otimizar o processo, com a possibilidade de identificar quando as compras precisam ser feitas para a reposição de suprimentos dos clientes.

Segundo Júlio Jaginski, Analista de Produto da Helioprint, uma boa gestão evita que equipamentos fiquem parados por falta de suprimentos. Outra preocupação é que o cliente tenha que lidar com estoques desnecessários e tenha que fazer o controle do mesmo. 

“Através de um monitoramento remoto e automático, nossas ferramentas fazem a gestão dos suprimentos dos equipamentos de maneira proativa. Nós também monitoramos a durabilidade indicada pela fabricante e analisamos o perfil de consumo do cliente. O que gera a possibilidade de enviar o suprimento para ele no momento certo”, comenta Jaginski.

Quais os benefícios de contratar uma empresa para fazer essa gestão?

O primeiro e mais importante dos benefícios é a agilidade na reposição de suprimentos para impressão. Na Helioprint, como os sistemas acompanham em tempo real o funcionamento e desempenho dos equipamentos, é possível prever o momento de reposição. Além disso, os suprimentos são sempre originais e comprados corretamente, já que é um especialista que faz essa gestão. 

A impressora quebrou? Você também não precisa se preocupar com isso, já que o processo de substituição de peças para impressoras também é feito por técnicos. O que diminui os gastos com compras desnecessárias, perda de suprimentos ou com equipamentos parados por falta de peças.

Uma reposição inteligente de suprimentos pode fazer você economizar

O ressuprimento preditivo diminui os custos com estoque, otimiza o processo e evita prejuízos com interrupções de trabalhos por falta de tinta nas impressoras. Uma gestão eficiente de estoque pode evitar muitos imprevistos e nós sabemos que a sua empresa não pode parar. A reposição rápida e eficiente é a chave do sucesso! 

Por isso, continue acompanhando o Blog da Helioprint, estamos sempre trabalhando em dicas para o seu negócio prosperar. Nos vemos na próxima semana, com mais um conteúdo exclusivo. Até mais!

6 tendências de aplicações para impressão em grandes formatos

Papel de parede, envelopamento de veículos e outras oportunidades que somente a impressão em grandes formatos pode oferecer. Saiba porque investir nisso é uma ótima ideia para a sua empresa.

Estandes em feiras, envelopamento de veículos, decoração de empresas e residências, a impressão em grandes formatos possibilita uma gama de oportunidades de negócios. E se você busca expandir o seu catálogo, essa pode ser sua chance. 

Dados da FESPA Digital Printing, mostram que a previsão de crescimento do papel de parede impresso digitalmente é de US$ 7,74 bilhões para os próximos cinco anos. Sendo que a taxa de aumento anual composta é de 25%. Seja isso, um reflexo do tempo em que as pessoas passaram, excessivamente, em casa nos últimos anos ou a necessidade de personalização, o fato é que esse mercado tende a crescer. O aplicativo GetNinjas, apresentou uma alta nas reformas habitacionais de 57% em 2020. 

Outros dados da Nuvemshop, uma plataforma de e-commerce, mostrou que o setor de casa e decoração apresentou um crescimento de 300% nas compras virtuais entre 2019 e 2021. A mesma pesquisa também aponta que no ano passado, as pequenas e médias empresas do setor registraram mais de R$ 200 milhões em faturamento. 

O fato é que há uma oportunidade em crescimento e a impressão em grandes formatos está no centro dela. Por isso, fizemos uma seleção com as principais tendências de aplicação de impressão digital. Elas vão de decoração de interior personalizada até realidade aumentada. Confira:

1. Papel de parede impresso digitalmente

Como já vimos nos dados acima, o setor de decoração está em alta. E o papel de parede é uma forma fácil, ágil e não permanente de personalização de ambientes. Mas não são somente as residências que estão optando pelo papel de parede. Ele também é uma ótima opção para renovar a estética de escritórios e locais de trabalho

Com a volta do trabalho presencial, trazer um novo visual, mais moderno e atrativo, pode ser uma grande oportunidade tanto para colaboradores e clientes, quanto para as gráficas. Essas opções de personalização representam um mercado incrível pela frente. A consultoria de mercado Technavio, espera que o mercado de papel de parede impresso digitalmente cresça cerca de 4,81 bilhões de dólares entre 2021 e 2025.

2. Envelopamento de veículos

Essa é outra grande oportunidade para o seu catálogo. O envelopamento de veículos está em alta. Prova disso, é que esse segmento global da comunicação visual foi avaliado em 4 bilhões de dólares em 2020. Além disso, a sua previsão de crescimento é de 22% até 2028. Considerados quase como outdoors ambulantes, os carros envelopados servem para identificar a empresa e o serviço prestado. Mas também para divulgá-la por onde está passando. Afinal, quem nunca ligou para um contato de uma empresa, após ver um carro assim à sua frente no trânsito?!

Para as gráficas que optarem pela impressão em grande formato para veículos. Opções de design não faltam para oferecer aos clientes. Vale a pena investir!

3. Sinalização de orientação

Dados da Sign Research Foundation apontaram que 60% dos negócios melhoraram suas vendas em uma média de 10% após atualizarem as sinalizações de orientação. Se você ainda está confuso com o termo ‘orientação’, não se preocupe, nós explicamos. A impressão de grandes formatos possibilita muitas opções criativas como: murais e obras de arte que agregam muito valor a um ambiente. 

Esse tipo de sinalização pode ser aplicada em prédios comerciais ou shoppings centers, por exemplo. Em estandes em feiras, conferências e outras ferramentas que colaborem para a experiência do cliente. Pode ter certeza que opções não faltam para este tipo de impressão.

4. Realidade Aumentada (RA)

Esse termo é utilizado para denominar a tecnologia que permite sobrepor elementos virtuais à nossa visão da realidade. O mercado global de RA (Realidade Aumentada)  e RV (Realidade Virtual) está previsto para crescer 42,9% até 2030, dando uma oportunidade para as empresas de impressão de grandes formatos expandirem seus serviços.

Para as empresas de impressão, a RA pode ser utilizada para sobrepor informações digitais em produtos impressos físicos. Outdoors RA e outras impressões de grandes formatos oferecem aos usuários a capacidade de interagir com anúncios por meio de telefones. A publicidade de RA pode estar apenas começando, mas espera-se que o mercado atinja um valor total de 6,7 bilhões de dólares em 2025. Essa é mais uma oportunidade para o setor gráfico expandir o seu catálogo.

5. Códigos QR

Uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), mostrou que até junho de 2022 haviam 242 milhões de celulares em circulação no Brasil. Os códigos QR são a oportunidade de ouro para as gráficas nesse caso. Cada vez mais essa tecnologia vem sendo integrada a produtos impressos para desbloquear novas experiências digitais. Cerca de 86% dos usuários de smartphone digitalizaram um código QR pelo menos uma vez em sua vida. Sendo que 36,4% digitalizam pelo menos um código por semana.

Dessa forma, empresas de impressões de grandes formatos podem integrar a conectividade digital aos seus impressos. Códigos QR grandes e digitalizáveis já estão sendo utilizados em outdoors e expositores de publicidade, e as empresas de impressão agora têm a chance de trazer esse mesmo nível de conectividade para a sinalização impressa.

6. Impressoras Colorado

Essa é mais uma tendência para a impressão em grandes formatos. Já falamos aqui no blog sobre a tecnologia das impressoras Colorado. São basicamente três modelos disponíveis: A Colorado 1650, a 1640 e a 1630. Todas elas possuem suas especificidades e características de impressão. Mas o que todas têm em comum é a qualidade. Além disso, elas oferecem uma extensa gama de cores para se trabalhar e criar. São fáceis de operar, o processo de cura é rápido e a velocidade de impressão é incomparável.

Você já sabe onde encontrar esta tecnologia?

Helioprint-oferta-Canon-Colorado-banner

A Helioprint possui uma gama completa de maquinários e serviços gráficos, com especialidades alinhadas a qualquer tipo de impressão digital. Desde impressoras multifuncionais até as grandes ‘Colorado’. 

A Helioprint acompanha as transformações do mercado de impressão e traz aos clientes os melhores equipamentos disponíveis. Entre em contato conosco e descubra as soluções que ela oferece para a sua empresa. Fique ligado no blog e até mais!

Papel de parede: imprimir em grandes formatos pode trazer bons negócios

Empreender com produtos impressos para decoração pode ser a inovação que a sua empresa precisa para continuar crescendo. Descubra as vantagens de investir na impressão de grandes formatos e de quebra entrar para o mercado de design de interiores.

Você já pensou em imprimir em grandes formatos? Pois bem, se não pensou, está na hora de começar. O setor de decorações de interiores ficou em destaque nos últimos anos. Por conta da crise na saúde global, muitas pessoas tiveram que passar mais tempo em casa. Isso levou a necessidade de investir em ambientes mais aconchegantes e receptivos. 

E um dos modos mais eficientes e práticos de mudar qualquer lugar: é o papel de parede. Eles se tornaram a solução perfeita dos arquitetos e designers de interiores. Mas, é claro que por ser fácil e rápido de aplicar também caiu no gosto geral da população. Fique com a gente e se surpreenda com o que a impressão de grandes formatos pode oferecer. Boa leitura.

O que dizem os dados?

Segundo a FESPA Digital Printing, a previsão de crescimento do papel de parede impresso digitalmente é de US$ 7,74 bilhões para os próximos cinco anos. Sendo que a taxa de aumento anual composta é de 25%. 

Estes números relacionados a impressão de grandes formatos, estão diretamente relacionados com a alta na quantidade de reformas habitacionais dos últimos anos. De acordo com o aplicativo GetNinjas, as reformas aumentaram 57% em 2020. 

Outros dados da Nuvemshop, uma plataforma de e-commerce, mostrou que o setor de casa e decoração apresentou um crescimento de 300% nas compras virtuais entre 2019 e 2021. Além disso, a mesma pesquisa também mostrou que em 2021, as pequenas e médias empresas do setor registraram mais de R$ 200 milhões em faturamento. 

O fato é que o papel de parede tem a função de customizar o lugar, deixar o ambiente com a cara do cliente. Seja em uma parede de destaque ou numa sala inteira, ele tem o poder de transmitir a personalidade do dono do lugar. Redes sociais como o TikTok e o Instagram divulgaram muito as vantagens deste tipo de decoração para o consumidor final.

Listamos algumas oportunidades que este negócio pode trazer à sua empresa

A experiência e a customização nunca estiveram tão em voga, por isso, investir na impressão em grandes formatos pode ser o boom que o seu negócio precisa

Tecnologias de impressão para papel de parede

Estas são algumas das opções de equipamentos de ponta para grande formato. Elas produzem altos volumes de gráficos com ótimo acabamento e custo diferenciado. Você consegue criar papéis de parede, decalques e painéis. Listamos algumas máquinas que agregam um bom custo benefício:

1 – Colorado 1650

A Colorado 1650 está equipada com tecnologia FLXfinish para imprimir uma impressionante gama de aplicações a altas velocidades de até 159 m2/h. Esta impressora rolo a rolo de 64 polegadas (1,60 metros de boca aproximadamente), proporciona produtividade, excelente qualidade e excepcional versatilidade de aplicações, além dos baixos custos de operação. 

É fácil de operar com suporte para a entrega automática e sem assistência de produtos de acabamento. Também possui a tecnologia UVgel, sistema de oito cores, tem alta velocidade de impressão e secagem rápida. Tem flexibilidade para exercer múltiplas tarefas e variedades de mídias. Seu sistema imprime frente e verso, ideal para aplicações externas e internas. Ela possui uma cabeça de impressão exclusiva, com sistema que mantém a tinta ativa mesmo sem uso, evitando assim o ressecamento. 

2 – Colorado 1640

A primeira impressora UVgel da revolucionária gama Colorado. Se destaca quando o assunto é produção de rolo a rolo. Ela é indicada tanto para aplicações internas quanto externas. Oferece uma gama extensa de cores e sistema a látex. Possui  um mecanismo de gaveta para serviço pesado que pode suportar até dois rolos de mídia, cada um pesando até 50 Kg. Os dois rolos podem ser do mesmo tipo e tamanho de mídia ou de mídias diferentes, e uma vez montados, o mecanismo da impressora pode alternar as tarefas entre os rolos sem a assistência do operador

Com tecnologia de impressão UVgel e um sistema óptico que monitora continuamente o trabalho evitando falhas e transtornos. Como o processo de cura é sem calor evita que a mídia fique esticada ou deformada (diferentemente do látex ou eco solvente) o que torna esta tecnologia perfeita para aplicações de papel de parede.

3 – Colorado 1630

E por fim, temos a Colorado 1630, que é totalmente modular. Um investimento inteligente, já que você pode configurar o sistema de base com a sua situação específica. A velocidade de impressão é de 111 m²/h. Como nas outras, também utiliza a tecnologia UVgel da Canon. 

Tem rápida velocidade de impressão e de secagem com sistema de quatro cores. Várias possibilidades como: impressão fosca, frente e verso ou segundo rolo de mídia. Todas as opções podem ser habilitadas remotamente sem a necessidade de um técnico.

Perguntas básicas

Ficou com alguma dúvida sobre os termos usados na impressão de grandes formatos? Não se preocupe, nós explicamos:

O que é a tecnologia  UVgel?

Uma tecnologia única de tipo “impressão seguida de cura” com tintas de gel de secagem instantânea curados com luzes UV LED. A vantagem de utilizar gel em vez de líquidos traduz-se na possibilidade de fornecer mais tinta em menos passagens, sem que esta vaze para dentro ou para cima do suporte. Como resultado, oferece impressões extremamente nítidas com uma ampla gama de cores. Sem cheiro e extremamente resistente.

O que é a tecnologia FLXfinish?

Ela maximiza as vantagens do UVgel com uma estratégia de cura de uma ou duas fases. Oferece a possibilidade de escolher entre um acabamento brilhante ou mate sem ter de mudar de tinteiros ou suporte. Impressões mate vibrantes em suportes suaves e mais porosos/estruturados, como o papel normal não revestido.

E o que são os tinteiros UVgel?

As tintas flexíveis, mais elásticas, permitem imprimir numa vasta gama de suportes, incluindo papel normal, vinil autocolante e tecidos de poliéster. A maior elasticidade garante que pode dobrar ou curvar as impressões sem quaisquer problemas para aplicações como sinalética têxtil ou impressão em tela.

Onde encontrar bons equipamentos?

A Helioprint é uma plataforma integradora de serviços de outsourcing que vão além da impressão. Possui uma gama completa de maquinários e serviços gráficos, com especialidades alinhadas a qualquer tipo de impressão digital. Desde impressoras multifuncionais até as grandes ‘Colorado’. Sabemos que o mercado de impressão está passando por muitas transformações. E que isso está fazendo com que muitas empresas repensem seus processos e produtos. Por isso, se dedica na excelência em suporte técnico, equipamentos, soluções de gerenciamento, desenvolvidos para otimizar processos e reduzir desperdícios.  

Helioprint-oferta-Canon-Colorado-banner

Entre em contato com a Helioprint e descubra as soluções que ela oferece para a sua empresa. Seja outsourcing, área gráfica, médica, corporativa ou varejo. Até mais!

6 ideias para sua gráfica rápida faturar no Dia dos Namorados

Uma das datas mais lucrativas do ano está chegando, saiba o que você pode fazer para atrair os apaixonados para a sua gráfica.

A Páscoa e o Dia das Mães ficaram para trás, a questão agora é como lucrar na sua gráfica rápida no Dia dos Namorados. Nesta data, pieguices e clichês são esperados e até desejados entre os casais. 

Presentes como flores, chocolates, cinema e joias estão entre os itens mais procurados. Mas você pode atrair os clientes com duas palavras mágicas: presentes personalizados

Afinal, quem não quer se sentir único para o seu amado?! Fique com a gente e vamos mostrar algumas ideias para a sua gráfica rápida faturar no Dia dos Namorados. Boa leitura!

Dia dos Namorados no Brasil

Diferentemente dos Estados Unidos e Europa, onde a data é comemorada em 14 de fevereiro e denominada ‘Valentine’ s Day‘ em homenagem a um bispo da Idade Média que unia casais clandestinamente.

No Brasil, a data é bem mais comercial e recente. Foi João Dória, um empresário do ramo da publicidade, que em 1949 elaborou um programa comercial relacionado à data. O dia escolhido foi 12 de junho, véspera da comemoração do Dia de Santo Antônio, o casamenteiro,  o sucesso foi tamanho que é celebrado até hoje.

O que dizem os dados?

No ano de 2021 a data registrou uma alta de 13,7% nas vendas em relação ao ano anterior, segundo o Serasa Experian. Nos fins de semana que antecederam o Dia dos Namorados, o aumento foi de 3,2%, bem superior ao de 2012.

No e-commerce, as compras feitas por cartão de crédito renderam mais de 3,3 bilhões em faturamento. Isso de acordo com um relatório da All In/Social Miner em parceria com a Clearsale e Octadesk, divulgado no ano passado.

Para 2022, o comércio estima um crescimento de 2,5%, uma movimentação de cerca de R$ 1,65 bilhões. Esses dados são da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que se vê bem otimista acerca da data.

Mas fique calmo, ainda dá tempo de se preparar! Para isso, o Blog da Helioprint separou algumas dicas para inspirar as vendas do Dia dos Namorados na sua gráfica rápida. Prepare caneta, papel, ative a sua criatividade e vamos lá!

Gráficas rápidas no Dia dos Namorados

São muitas as ideias de presentes personalizados que uma gráfica rápida pode oferecer no Dia dos Namorados. Por exemplo, chaveiros, almofadas, camisas, canecas, relógio, chinelos, cadernos, mouse pads, enfim muitos! O segredo é como apresentar isso ao seu consumidor e conquistá-lo. 

1. Faça um planejamento estratégico

Em primeiro lugar, identifique os produtos que mais venderam nos anos anteriores e invista neles. Estude o seu público-alvo, veja o que eles estão procurando, leia, pergunte e se informe sobre isso.

Faça uma pesquisa com os seus concorrentes também, veja bem, não estamos falando em copiar a ideia alheia. Mas sim, criar a sua de acordo com a pesquisa. Assim, você terá mais ideias do que fazer. 

2. Para divulgar seus produtos aposte no marketing digital

Se o seu intuito é ganhar e não gastar, os canais digitais são as melhores opções. Pois, o investimento é inferior a um outdoor ou comerciais de rádio ou TV, por exemplo:

Redes sociais

Alcance seu público, criando perfis e publicando assuntos relevantes. Vale lembrar que as redes sociais são gratuitas e muito acessadas pelos consumidores, mas cuidado, planeje bem o que vai postar! Crie estratégias criativas, instigue o cliente, mostre as opções que você oferece e como isso pode surpreender o presenteado;

Site 

Um canal básico para exibir seus serviços, portfólio e outras informações importantes da sua gráfica rápida. Lembre-se que um negócio não pode se sustentar apenas com redes sociais. Pois elas pertencem a empresas (Meta, Google, etc) e o seu perfil ali dentro não é garantido, já que as políticas das plataformas mudam o tempo todo.. Mas o site da sua empresa, esse é seu patrimônio.

Mídia paga

Se você possui um valor para investir, o Facebook Ads e o Google Adwords são excelentes ferramentas para atingir um público específico. Os anúncios podem ser segmentados e atingir de forma certeira o público-alvo no Dia dos Namorados da sua gráfica rápida.

Alcance orgânico

Através do SEO é possível estar presente nos resultados de pesquisa do Google, justamente onde seus possíveis clientes estão procurando. Fique atento também no SEO Local, pois ele é importante para as pesquisas que são feitas de smartphones. Neste tipo de busca, o Google costuma mostrar empresas próximas ao local da pessoa.

Facebook chatbots

Os chatbots são “robôs” que “conversam” com as pessoas que entram em contato com sua empresa através da fan page do Facebook. É possível programar esses robôs para tirar dúvidas sobre serviços, oferecer produtos ou até realizar vendas.

3. Inove no portfólio

Já citamos acima os clássicos, caneca, camisa, chaveiros. Mas, itens como baralho personalizado, capinha de celular, caixas e embalagens criativas, abridor de garrafas e a foto tela, por exemplo, são diferentes e podem ser divulgados para o cliente conhecer. Pense no que mais você poderia inovar e “mãos na massa”!

4. Cumpra os prazos de entrega

Você mais do que ninguém conhece o potencial da sua empresa, então não aceite mais do que você pode entregar. Caso queira investir mesmo na data, há a opção dos temporários.

Durante as datas comemorativas sazonais, geralmente o número de contratações por um curto espaço de tempo aumenta. Desse jeito você pode aceitar mais encomendas e manter a sua empresa e seus funcionários, sem estresse no final do dia.

5. Cliente bem atendido, volta para mais um pedido

Essa é a mais pura verdade! Consumidores bem atendidos retornam e indicam para outras pessoas. Por isso, instrua e capacite os seus colaboradores. Eles devem demonstrar conhecimento, serem ágeis e dar soluções sempre que o cliente precisar. 

O ambiente do atendimento também deve ser levado em consideração. Mantenha a recepção e o ambiente de trabalho organizado, limpo e convidativo. Ar condicionado, bebedouro, wi-fi e até mesmo um canto do café são levados em consideração pelos fregueses.

A organização no ambiente de trabalho também vai contribuir para que os colaboradores achem facilmente os materiais necessários para o trabalho, o que contribui para maior agilidade e eficiência.

6. Nesse Dia dos Namorados o match perfeito das gráficas rápidas é com a Helioprint

Como já falamos no início deste artigo, os itens clichês e piegas estão em alta no Dia dos Namorados e isso é uma oportunidade para a sua gráfica rápida. 

A Helioprint trabalha com equipamentos de impressão há mais de 40 anos. Temos também soluções corporativas que podem ajudar gráficas, a atualizar seu parque tecnológico, de todos os tamanhos e segmentos a maximizarem seus resultados.

Você pode contar com as maiores e melhores inovações do mundo gráfico, equipe qualificada e disponível, consultoria gratuita, assessoria na escolha dos equipamentos e muito mais. Entre em contato com um dos especialistas da Helioprint e descubra como a sua empresa pode ganhar com essa parceria.

5 dicas de impressão gráfica que passaram despercebidas em 2021

Para você começar o ano com o pé direito relembramos algumas estratégias que podem fazer a diferença na sua empresa. Então já favorite este artigo e vem com a gente para saber mais sobre o mundo gráfico

Ao longo deste ano a Helioprint abordou diversas dicas de impressão para te ajudar no seu negócio. Sabemos que 2021 não foi fácil, então se você perdeu algum artigo ou esqueceu de alguma delas, não se preocupe!

Fizemos uma seleção das melhores indicações e das que talvez tenham passado despercebidas por você. De economia ao escolher a fonte tipográfica até atendimento no balcão confira as dicas que separamos para você:

1. Saber escolher a gramatura do papel é importante

São diversas as opções de papel: 80g, 150g ou 300g. E acredite, a escolha dela influencia diretamente no resultado final da sua impressão.

A gramatura nada mais é do que uma medida de peso que representa a densidade do papel em gramas por metro quadrado (g/m²). Uma das dicas de impressão é sempre conferir uma amostra em tamanho real do papel. Assim, você pode verificar a maleabilidade do papel sem a chance de cometer enganos. Agora confira um apanhado sobre as gramaturas:

2. A escolha da fonte tipográfica ajuda a economizar tinta da impressora

É isso mesmo! Essa é para você que está sempre pensando em novas formas de fazer o seu dinheiro render mais

Além de ajudar o seu bolso, ao economizar tinta você também está automaticamente contribuindo com o meio ambiente. Já que o consumo consciente é a tendência que veio para ficar. Agora confira essas dicas de impressão sobre as fontes que mais economizam tinta:

3. Se você tem uma gráfica, atender bem no balcão é essencial

Após meses de atendimento remoto e delivery por conta da pandemia, o presencial volta ao foco. Essa é a sua chance de voltar com tudo! Reveja algumas dicas:

4. Em 2021 entendemos como o benchmarking pode ajudar as gráficas rápidas

O termo “benchmarking” deriva da palavra inglesa benchmark, que significa “referência” e consiste na análise das experiências de outras empresas do mesmo ramo. Trata-se de uma análise dos pontos positivos dos concorrentes para assim transformá-las em oportunidades para o seu negócio. O objetivo é simples: se aperfeiçoar.

Portanto, o benchmarking serve tanto para aquelas gráficas que já estão no mercado quanto para quem está cogitando entrar para o ramo. Esta é uma estratégia que deve ser desempenhada corriqueiramente para que você esteja sempre em contato com a evolução do mercado ao seu redor. Neste artigo você encontra dicas de como o benchmarking pode te favorecer.

5. Seja qual for o seu ramo de atuação ou interesse a Helioprint está aqui para te ajudar

Há mais de quatro décadas no mercado gráfico a Helioprint se orgulha de fazer parte da história de várias empresas. Oferecendo serviços de impressão para gráficas com impressoras de qualidade e serviço sem igual. Não importa o seu ramo de atuação, conte com a gente para a excelência em impressão.

O ano passou rápido. Começamos ele ainda em a uma crise de saúde mundial e com o andamento do calendário de vacinações pelo Brasil, aos poucos fomos nos recuperando.

Terminamos 2021 com esperança de dias melhores. Sem doenças, mortes e com a recuperação da economia como um todo. Foram dias sombrios para todos e, finalmente, conseguimos enxergar a luz no fim do túnel.

É como dizem: não há poço tão fundo que não possa ser escalado, e nem escuridão mais profunda que não possa ser iluminada. Por isso, nós da Helioprint desejamos luz para o seu 2022. E para te ajudar em dicas de impressão, conte conosco sempre. Até a próxima!

18 tipos de papéis para impressão gráfica que encantam os clientes

Todo cliente quer receber produtos de qualidade. Mas quando se trata de algo que envolve sentimentos, por exemplo, convites de casamento ou álbuns de fotografias, aí é que a exigência dele será ainda maior

Quem tem gráfica sabe que há vários tipos de papéis para impressão que podem ser utilizados no dia a dia. Mas quando queremos encantar o cliente, é fundamental escolher a opção mais acertada para aquele tipo de serviço.

Quando o trabalho envolve questões sentimentais do cliente (como casamento, formatura, álbuns), quais tipos de papéis para impressão você está oferecendo? Os mesmos que a concorrência?

Aqui na Helioprint, empresa sediada em Blumenau-SC e que oferece diversos tipos de soluções para gráficas, sabemos que existem centenas de papéis diferenciados que você pode oferecer para encantar seus clientes.

As pessoas querem, sobretudo hoje em dia, ser exclusivas. Por isso, quem oferece algo diferente fideliza o cliente. Quer se diferenciar?

Neste artigo, vou mostrar mais de 15 tipos de papéis para impressão gráfica que você pode oferecer para seus clientes.

Tipos de papéis para impressão mais usados

A princípio, existem dezenas de tipos de papéis para impressão gráfica, cada um com características únicas. Confira a lista abaixo dos papéis mais usados em impressão gráfica:

Se você está montando sua gráfica rápida, alguns dos papéis acima serão essenciais para o seu negócio. Aliás, eles serão a base da maioria dos trabalhos.

Mas por que parar no básico? Vamos adiante! A seguir, vou te mostrar os papéis especiais que você pode oferecer para os clientes.

#1: Papel vergê

tipos de papel para impressão - vergêO papel vergê é um tipo de papel muito usado para fazer convites de casamento e artesanatos. Ele é mais duro que o papel sulfite e, no entanto, mais fino que a cartolina. Sua textura, em relevo, é levemente rugosa, com pequenas linhas paralelas. Perfeito, portanto, para artigos que requerem sofisticação.

Onde usar?

O papel vergê é indicado, primordialmente, para imprimir certificados, diplomas, convites, folhetos, cartões de visita e até mesmo fazer artesanato.

Gramatura: Normalmente de 80 a 180 g/m².

#2: Papel Fine Art

Fine art é uma técnica de impressão de obras de arte. Essa técnica exige uma série de requisitos muito complexos e precisos. Um desses requisitos é o papel.

Os papéis para fine art precisam ser extremamente resistentes ao tempo (mais de 60 anos), e suportar a melhor qualidade de impressão.

Alguns papéis fine art são:

Cada categoria de papel é feita para enaltecer a imagem da obra original. As marcas mais famosas de papéis fine art são: Canson e Hahnemuhle.

Onde usar?

Em fotografias, mas sobretudo em quadros e obras de arte em geral.

Gramatura: Desde 80 a mais de 400 g/m².

#3: Papel de linho

O papel de linho é o tipo de papel ideal para quem procura alta qualidade de impressão com sofisticação. Isso porque sua superfície é fosca e a textura lembra o tecido linho. Embora seja muito usado em convites, cartões e embalagens, o papel de linho também é excelente para artesanatos.

Além disso, este papel é altamente resistente a altas temperaturas.

Onde usar?

Principalmente em materiais sofisticados, podendo ser convites em geral, folhetos, cartões de visitas, embalagens, artesanato, cartazes, fotografias e outros.

Gramatura: Normalmente de 80 a 200 g/m².

#4: Papel aspen

O papel aspen é o tipo de papel ideal para impressão de convites de luxo. Liso e brilhante, com aspecto metalizado/perolado, pode ser encontrado em diversas cores. Uma característica interessante deste papel é que a superfície muda de cor de acordo com a luminosidade do ambiente. Portanto, dependendo do contexto, pode impactar positivamente seu cliente.

Onde usar?

A princípio, nos convites em geral, mas também em cartões de visitas e outros artigos de luxo.

Gramaturas: De 120 à 240 g/m².

#5: Papel majorca

O papel majorca é da mesma linha do papel aspen. Sua superfície é lisa com aspecto metalizado/perolado. Assim como o aspen, as cores também são influenciadas pela luminosidade do ambiente.

Pode ser encontrado em diversas cores e tons, porém, a cor mais comum é o dourado.

Onde usar?

Convites em geral, cartões de visitas e outros impressos especiais.

Gramaturas: De 120 a 200 g/m².

#6: Papel vegetal

O papel vegetal é fabricado com fibra de celulose pura, ou seja, sem adição de químicos. Este tipo de papel é muito usado para fazer desenhos, pois possui transparência parcial. Além disso, é excelente para acabamentos de convites.

Outro detalhe importante: formação do papel é rígida, isso faz com que o papel vegetal possa ser dobrado sem que a fibra seja quebrada.

Onde usar?

Sobreposição de convites, artesanato, catálogos, bem como em outros impressos especiais.

Gramaturas: Normalmente 180 g/m².

#7: Papel diamond

O papel diamond é conhecido popularmente como papel casca de ovo – por conta de sua superfície porosa. Por ser um papel grosso, o diamond é bastante resistente. Os impressos feitos com este papel ganham aspecto requintado.

Você pode encontrar papéis diamond em diversas cores e estampas. Assim, pode deixar a criatividade fluir à vontade!

Onde usar?

Convites, catálogos, folders, cartões de visitas, cartões de Natal, assim como em outros impressos especiais.

Gramaturas: Normalmente 250 g/m².

#8: Papel design white

Este papel é macio, pois possui uma quantidade razoável de algodão em sua composição. Com uma leve textura quadriculada, o papel design white é ideal para impressões de alta qualidade.

A maciez do papel adiciona um toque de luxo ao impresso. Em suma, ele é bastante elegante.

Onde usar?

Convites em geral, catálogos e, do mesmo modo, em outros impressos especiais.

Gramaturas: 250 g/m².

#9: Papel fotográfico

O papel fotográfico, como o nome já diz, é um tipo de papel para impressão de fotografias. Os mais comuns são compostos do mesmo material que o papel couché, porém, com uma camada extra de polietileno. Aliás, essa camada extra adiciona mais resistência e brilho ao papel.

Existem diversos tipos de papéis fotográficos, tais como:

Todavia, vale lembrar que dentro dessas categorias existem papéis com diferentes texturas e superfícies.

Onde usar?

Sobretudo em fotografias.

Gramaturas: De 90 a 120 g/m².

#10: Papel duplex

O papel duplex é composto por duas camadas que podem ter cores e composições diferentes. Justamente por ser “composto”, ele é mais grosso. Por isso, indicado para embalagens personalizadas.

Onde usar?

Como o papel duplex é mais grosso, use primordialmente para fazer caixas, sacolas e embalagens em geral.

Gramaturas: De 250 a 350 g/m².

#11: Papel offset

O papel offset é fosco e branco dos dois lados, parecido com o papel sulfite. Possui alta resistência contra umidade e absorve mais tinta que os outros papéis por não conter nenhum tipo de revestimento. Além disso, é um dos papéis mais baratos do mercado.

Onde usar?

O papel offset é ideal para produtos que receberão textos, por exemplo, papéis timbrados, miolos de livros, folhetos, envelopes, agendas, cartas, blocos, cartazes e até selos.

Todavia, as pessoas também utilizam o papel offset para muitos outros fins, incluindo a confecção de folders, panfletos e uma infinidade de materiais gráficos.

Gramaturas: De 56 a 240 g/m².

#12: Papel reciclato

O papel reciclato é um papel de alta resistência, feito com restos de papel offset ou sulfite. O processo de reciclagem dá ao papel o tom marrom e a textura áspera.

Utilizar este papel pode transmitir valores ecológicos e sustentáveis. Por isso, é muito usado entre empresas que preservam valores ecologicamente corretos.

Porém, o custo é maior que o papel offset ou sulfite.

Onde usar?

Ideal para papéis timbrados, blocos de notas, hot stamping, miolos de agendas, cartões de visita e cartazes. No entanto, ele vem sendo utilizado em uma gama cada vez maior de trabalhos.

Gramaturas: De 90 a 120 g/m².

#13: Papel supremo

O papel supremo é muito resistente devido à alta gramatura, e sua textura é extremamente lisa. Entre as “opções comuns”, pode ser considerado o papel mais liso e resistente, portanto, indicado para impressões de alta qualidade e acabamento.

Curiosidade: o nome “supremo” é apenas comercial. Na verdade, esse papel se chama “cartão triplex”.

Onde usar?

Calendários, imãs, pastas, embalagens, cartões de visita, bem como em marcadores de página, encartes e convites.

Gramaturas: De 250 a 350 g/m².

#14: Papel couché

O papel couché é bastante liso e possui uma camada de revestimento adesivo. É um dos tipos mais usados em gráficas, pois tem excelente custo-benefício, sendo um dos preferidos do público em geral. A principal aplicação desse tipo de papel é o cartão de visita.

Os tipos mais comuns são:

  1. Papel couché fosco;
  2. Papel couché com brilho.

Ambos são lisos e uniformes, porém, a camada de revestimento do couché com brilho reflete mais luz, e por isso é mais brilhante que o fosco.

O aspecto super brilhante do couché com brilho deixa as cores mais vivas, porém, em alguns casos pode dificultar a leitura. Todavia, ambos são indicados para quem busca alta qualidade de impressão.

Onde usar?

Ideal para flyers, catálogos, folders, folhetos, cartazes, malas diretas, revistas, mas também em cartões de visita, tags, capas de livros e muito mais.

Gramaturas: De 90 a 350 g/m².

#15: Papel Kraft

O papel kraft não recebe branqueamento no processo de fabricação, preservando a cor original da madeira. Sua resistência é extremamente alta! Por isso, é o tipo de papel ideal para a confecção de embalagens, sacolas e caixas em geral.

É possível encontrar papel kraft em cores como branco, laranja, amarelo e tons de azul.

Muitos designers e desenhistas gostam de usar o papel kraft em suas artes.

Onde usar?

Tanto em sacolas, embalagens de produtos e caixas em geral, quanto em projetos artísticos.

Gramaturas: De 30 a 115 g/m².

#16: Papel jornal

O papel jornal é feito a partir de pasta mecânica. Muito usado pela indústria gráfica de grandes tiragens. sua textura pode variar entre áspera, lisa ou acetinada. A qualidade de impressão neste papel é baixa.

Onde usar?

Jornais, revistas, blocos, folhetos e, igualmente, em materiais promocionais.

#17: Papéis transfer e sublimático

Os papéis transfer e sublimático são específicos para aplicações de transferência de imagens em objetos – como canecas e camisas.

Através de um equipamento especial, a tinta do papel evapora e gruda no objeto destinado.

Onde usar?

Canecas, squeezes, azulejos, tecidos e outros.

#18: Papel cartão

O papel cartão só é encontrado em gramaturas mais altas. Para dar uma noção, este papel é mais duro que cartolina, porém, não tanto quanto o tipo papelão. Pode ser encontrado em diversas cores, mas somente um dos lados é colorido.

Onde usar?

Caixas, molduras de quadros e embalagens em geral.

Gramaturas: De 180 a 240 g/m².

Helioprint: trazendo soluções para você

tipos de papéis para impressão2

Espero que esse artigo sobre tipos de papéis para impressão seja útil de alguma forma. Lembro que a Helioprint atua em diversas frentes. Além do outsourcing de impressão, oferecemos soluções para a área médica, área gráfica e o varejo (supermercados e afins).

Até a próxima.

Como montar uma gráfica digital

Como calcular meu custo de impressão? (passo a passo + planilha grátis)

No mundo gráfico, saber exatamente quanto se está gastando em cada impressão é fundamental para a sustentabilidade do negócio. Aprenda a calcular isso hoje!

Quando falamos de impressão digital, calcular o custo de impressão por página é essencial para descobrir se você está, ou não, perdendo dinheiro. Contudo, o problema é que a maioria dos tutoriais que você encontra na internet não são precisos, e podem gerar resultados incorretos. Aí, já viu: o prejuízo sobre ainda mais.

Nós, da Helioprint, uma empresa sediada em Blumenau-SC, somos especialistas em impressão e já ajudamos centenas de clientes a calcular o custo real de impressão, fazendo com que eles tirassem melhor proveito dos equipamentos.

Nossa fórmula foi aprimorada em anos de trabalho. Quer descobrir essa fórmula? Neste artigo, você vai aprender como fazer o cálculo de cada página impressa para descobrir se suas impressoras estão gerando prejuízos.

Como calcular o custo de impressão?

Na internet, você encontra diversas maneiras para calcular o custo de impressão por folha. Por exemplo, para impressora colorida, laser, etc. Mas há um problema: na maioria das vezes, a fórmula está incorreta, e não é possível obter os resultados reais dos custos.

Lembre-se: o primeiro passo para reduzir custos com impressão é descobrir quanto você gasta. Por outro lado, nossa fórmula é segura e 100% precisa.

Confira como funciona: em primeiro lugar, você vai precisar reunir as informações sobre rendimento e valor pago dos seguintes itens:

Dica: as informações sobre os rendimentos das peças e toners você encontra no catálogo da impressora ou diretamente com o fabricante. No final, você terá algo parecido com isto:

Suprimento Rendimento Valor
Toner preto 10000 (5%) R$500
Toner colorido 10000 (5%) R$500 3)
Cilindro preto 50000 R$1.000
Cilindro colorido 50000 R$1.000 (x3)
Revelador preto 100000 R$1.500
Revelador colorido 100000 R$1.500 (x3)
Fusão 100000 R$2.000
Belt 100000 R$2.000

PS.: os valores de rendimento dos toners estão considerando a taxa de cobertura padrão do fabricante (5%). Falaremos mais sobre isso adiante.

Agora que temos todas as informações, podemos realizar o cálculo. Mas antes de continuar, precisamos passar por uma etapa muito importante, que é calcular o consumo de toner de acordo com a área de cobertura.

calcular custo de impressão

Como calcular o consumo de toner de acordo com a área de cobertura

Todo fabricante indica a quantidade de páginas que a impressora consegue imprimir com cada toner, no entanto, essa estimativa é feita com base em uma área de cobertura de 5%. Ou seja, a área de cobertura indica a quantidade de tinta que vai cobrir o papel.

Assim, se você calcular o custo de impressão sem modificar a área de cobertura, seu resultado estará incorreto, pois sabemos que esse valor de cobertura não condiz com a realidade.

Ou seja, para descobrir o rendimento real dos toners, basta aplicar o seguinte cálculo:

(percentual de cobertura proposto pelo fabricante / percentual de cobertura que você irá utilizar) x (rendimento do toner com a cobertura proposta pelo fabricante).

Confira um exemplo prático

Vamos imaginar, por exemplo, que queremos trabalhar com uma área de cobertura de 80%. Para recalcular o rendimento do toner com 80%, teremos que dividir este número pela quantidade de toners da impressora, ou seja: 80/4 = 20.

Depois, podemos aplicar este valor (20) à fórmula que mostramos anteriormente.

Assim, teremos: (5/20) x 10000.

Nosso resultado final será: 2500.

Então, se antes a impressora era capaz de imprimir 10000 páginas (5% de cobertura), agora ela suporta apenas 2500 páginas (80% de cobertura). Sendo assim, confira como ficou nossa tabela de rendimento com a área de cobertura de 80%:

Suprimento Rendimento Valor
Toner preto 2500 (80%) R$500
Toner colorido 2500 (80%) R$500 (x3)
Cilindro preto 50000 R$1.000
Cilindro colorido 50000 R$1.000 (x3)
Revelador preto 100000 R$1.500
Revelador colorido 100000 R$1.500 (x3)
Fusão 100000 R$2.000
Belt 100000 R$2.000

Agora que já temos o rendimento de páginas de acordo com a área de cobertura, podemos continuar. Dentro do nosso exemplo, então, temos os seguintes valores para os toners:

Suprimento Rendimento Valor
Toner preto 2500 (80%) R$500
Toner colorido 2500 (80%) R$500 (x3)

Então, vamos começar pelo custo do toner preto. Ele renderá 2500 impressões com 80% de cobertura, e seu valor é de R$ 500,00.

Ou seja, com esses valores em mão, basta aplicar à fórmula: rendimento / valor:

Calcular o custo dos toners coloridos

Para calcular o custo dos toners coloridos, usaremos a mesma técnica, porém, como são 3 toners. Ou seja, temos que multiplicar o resultado final por 3.

Mas atenção: estamos multiplicando o resultado porque o custo dos toners coloridos são iguais. Caso contrário, é preciso calcular cada toner separadamente. Então teremos:

Dica: se o resultado for um número quebrado, você pode arredondar o valor para cima. Por exemplo: 0,0666666666667 = 0,07

Custos com peças consumíveis

As peças consumíveis devem entrar no cálculo pelo fato de que precisam ser trocadas regularmente, assim como as tintas. Em nosso exemplo, as peças consumíveis são:

Suprimento Rendimento Valor
Cilindro preto 50000 R$1.000
Cilindro colorido 50000 R$1.000 (x3)
Revelador preto 100000 R$1.500
Revelador colorido 100000 R$1.500 (x3)
Fusão 100000 R$2.000
Belt 100000 R$2.000

Atenção: consideramos somente os principais consumíveis. Todavia, você pode colocar quantos consumíveis desejar na planilha. O cálculo é o mesmo.

Por exemplo, para calcular os custos de impressão dos consumíveis da impressora, basta aplicar a mesma fórmula que utilizamos no cálculo dos toners: rendimento / valor. Sendo assim, vamos aos resultados.

Custo por página:

Como calcular os custos com papéis

calcular custo de impressão 2

O custo com papel é outra variável que pode entrar na conta, e é simples de calcular. Basta dividir o valor pago pelo papel, pela quantidade de impressões realizadas.

Em nosso caso, vamos imaginar que uma resma com 500 folhas custe R$ 20,00. Como nós projetamos a quantidade de 2500 impressões, teremos que comprar 5 resmas de 500 folhas, o que nos dá um custo total de R$ 100.

E o resultado final é:

Descubra como reduzir o consumo de papel na sua empresa.

Calcular custo de impressão: resultado final

Depois que todas as variáveis estão prontas, basta somar tudo para ver qual será o custo de impressão por página da impressora. Veja:

Suprimento Rendimento Valor
Custo por página
Toner preto 2500 (80%) R$500 0,2
Toner colorido 2500 (80%) R$500 (x3) 0,6
Cilindro preto 50000 R$1.000 0,02
Cilindro colorido 50000 R$1.000 (x3) 0,06
Revelador preto 100000 R$1.500 0,015
Revelador colorido 100000 R$1.500 (x3) 0,045
Fusão 100000 R$2.000 0,02
Belt 100000 R$2.000 0,02
Papel 2500 R$100 0,04
Custo total por página: R$ 1,02

Assim, através dessa fórmula você pode calcular o custo e impressão da sua empresa, escola, gráfica ou uma simples impressora. E para facilitar a sua vida, não se esqueça de baixar nossa planilha para calcular custos de impressão.

Muito prazer, nós somos a Helioprint

E por fim, não se esqueça: quando o assunto for o Mundo Gráfico, temos sempre as melhores soluções pra você. Acesse agora mesmo o nosso site (helioprint.com.br) ou fale com um de nossos consultores: (47) 3144-4444.

calcular custo de impressão

Susan Kare: a mulher que revolucionou o design gráfico dos pixels!

Uma mulher que estudou arte, é apaixonada pelo pontilhismo, e que usou (e usa!) seus conhecimentos, aliados à alta tecnologia, para desenvolver uma série de elementos gráficos que mudaram a história do design: com vocês, Susan Kare!

Nesta Semana da Mulher, vamos falar de uma que mudou a história do design gráfico, Susan Kare. Apaixonada por arte, inspirando-se em técnicas como o pontilhismo, e com uma capacidade fora do comum para traduzir elementos, formas e cores em materiais belíssimos, Susan fez história trabalhando ao lado de Steve Jobs – fundador da Apple.

Neste artigo, você conhecerá:

A mulher que transformou a história do design gráfico

Susan Kare nasceu em Nova Iorque, em 1954. Mais conhecida como a “criadora das interfaces gráficas e dos ícones da Apple”, seu trabalho segue influenciando designers e profissionais do mundo gráfico até hoje. Mas por que Susan é considerada tão genial?

A resposta pode ser essa: autenticidade. Numa época em que quase ninguém achava possível mesclar linguagens de computação com arte, ela foi lá e provou que dava, sim!

Primeiros passos

Quando, na década de 1980, as pessoas ligavam um Apple Macintosh, sempre aparecia um “sorriso” gráfico (traços pretos em fundo branco), imitando uma pessoa sorrindo. A técnica era bem rudimentar: pixels agrupados formavam um rosto sorrindo.

Naquele momento, Susan viu o que ninguém era capaz de ver: os pixels poderiam ser mais do que “meros pontos”. Poderiam ser transformados em algo artístico

Tinha origem aí o que hoje chamamos de pixel art.

Trabalhos iniciais

Trabalhando nos pixels, ela criou, por exemplo, fontes tipográficas como a Cairo, Chicago e Geneva. O ícone do comando (command) dos teclados Apple (⌘) ou “tecla Apple”, além dos ícones do sistema operacional Mac OS, também são trabalhos dela.

Mas não pense que parou por aí. Combinando capacidade de análise crítica em relação à arte, e uma facilidade enorme para compreender o que seria mais legível aos leitores (usuários) dos PCs, ela também deu vida às fontes Athens, Biology, Bryant, Emerson, Everett, Five Dots, Hamilton, Harry, Kare Dingbats, Kare Five Dots, Kare Five Dots Serif, Los Angeles, Mini Food, Monaco, Ramona, Sampler, San Francisco e Waverley.

Trabalhos que ficarão na história

Além das fontes tipográficas (citadas acima), ela começou a criar elementos gráficos mais complexos – para aquela época. Um dos seus projetos mais conhecidos é o design do jogo Paciência, do Windows 3.0, feito em 1990. O sistema operacional da Microsoft daquele ano também contou com ícones desenvolvidos por Susan.

Relações com o mundo da arte

Tudo isso que Susan conseguiu desenvolver, em boa parte, se deve à sua afinidade com o universo artístico. Formada em artes pelo Mount Holyoke College, foi influenciada por expressões como a arte mosaica, o bordado e o pontilhismo. Essas 3 “escolas” artísticas têm uma similaridade com o pixel: a construção de imagens a partir de pequenos pontos. Está aí, talvez, a explicação para o olhar ímpar que teve em relação aos pixels.

De pequenos pontos às imagens complexas

Não é difícil compreender a contribuição de Susan para o design gráfico. Sem suas primeiras criações de pixel art, que transformavam pequenos pontos em imagens mais complexas, talvez ainda estaríamos no tempo em que, em nossos computadores, apenas letras e números seriam projetados. Mas o olhar acurado de Susan, dotada de talento e sensibilidade, percebeu que pixels poderiam virar qualquer coisa, inclusive um emoji!

O que isso tem a ver com impressão?

Na prática, se um designer hoje é capaz de fazer belos desenhos num computador e, depois, imprimi-lo, ele tem de agradecer à Susan. Isso porque, em certa medida, qualquer coisa que vá além de “letras” ou “números”, e que você consegue “ver” na tela do seu computador (um cachorro, uma casa, etc.), de algum modo, teve a contribuição de Susan. Além disso, ícones de programas como o Photoshop e o Illustrator têm sua influência!

Como pioneira da pixel art, ela é conhecida como “a designer que mudou para sempre a forma de usar um computador por meio de uma interface gráfica intuitiva”.

Clientes famosos e reconhecimento

Além da Apple e da Microsoft, também se beneficiaram com o talento de Susan, por exemplo, as seguintes empresas: Autodesk, Facebook, Fossil, General Magic, IBM, PayPal e Pinterest.

A partir de 2008, peças criadas por ela, passaram a integrar nada menos que o acervo do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque. Você pode ver algumas delas neste link.

Mulheres, parabéns!

Nós, da Helioprint, reconhecemos e valorizamos todas as mulheres que, com uma visão à frente de seu tempo, conseguem transformar realidades. Novidades como as trazidas pela Susan servem de inspiração para que continuemos em nossa missão de inovar. Sendo assim, desejamos um feliz Dia Internacional da Mulher a todas as mulheres deste nosso imenso Brasil.

Como escolher a gramatura de papel perfeita para meu impresso?

Como escolher a melhor gramatura de papel para a sua impressão? 80g, 115g, 150g ou 300g? Isso pode variar dependendo do que você quer imprimir. Veja como decidir!

Quando o assunto é a escolha de gramatura de papel, muitos clientes de gráficas ficam completamente perdidos. Afinal, com tantas opções, preços e características, como escolher a melhor opção para um impresso?

E a pior parte é: a gramatura influencia diretamente no resultado final da impressão, tornando a decisão ainda mais difícil. Porém, existe uma maneira de tornar tudo mais fácil. E a resposta está neste artigo.

Continue lendo e descubra como escolher o tipo de gramatura de papel ideal para seu impresso, seja ele, por exemplo, um cartão de visita, cardápio, fotografia, convite de casamento, certificado ou até mesmo aquarela e artesanato.

O que é gramatura de papel?

Gramatura ou gramagem de papel é uma medida de peso que representa a densidade do papel em gramas por metro quadrado (g/m²). Normalmente, os papéis mais pesados são mais grossos, enquanto os papéis mais leves são mais finos, mas pode haver exceções.

Mas cuidado para não confundir gramatura com espessura, pois a espessura é uma medida de distância entre as duas faces do papel, enquanto a gramatura é uma medida de peso relacionada à densidade do papel.

Super dica: confira sempre uma amostra em tamanho real do papel que você deseja, pois a maleabilidade do papel pode mudar de acordo com o tamanho da amostra. Ou seja, isto pode causar a falsa sensação de que o papel é mais duro ou mais fino que o normal.

Agora, vamos ao que interessa: aprender como escolher a gramatura certa para o seu impresso!

Gramaturas de 30g a 63g

São as gramaturas mais finas de papéis, utilizadas amplamente por indústrias e fábricas.

Os papéis de 35g a 55g são utilizados, normalmente, em jornais e bobinas de máquina de cartão. Já as gramaturas até 63g se encaixam em produtos como embalagens e etiquetas adesivas.

gramatura de papel

Essa gramatura é indicada para os seguintes produtos: jornais; etiquetas adesivas; bobinas de máquinas de cartão; blocos de notas fiscais; blocos de orçamentos, por exemplo.

Se for usar uma dessas gramaturas, opte pelos seguintes papéis:

Gramagens de 75g a 120g

Os papéis de 75g a 90g são comumente utilizados em impressoras domésticas. Além disso, empresas e hospitais também utilizam bastante essa gramatura, pois ela é ideal para papéis timbrados e receituários.

Sobre os papéis de gramatura 120g: algumas pessoas optam por fazer materiais de baixo custo, como panfletos e cartões de visitas.

Consequentemente, a qualidade destes impressos também é baixa.

Gramaturas de 75g a 90g são indicadas para os seguintes produtos: papéis timbrados; receituários; panfletos, cartões e convites de baixa qualidade; hot stamping; miolos de agendas e cadernos; artesanatos, por exemplo.

Se usar essas gramaturas, prefira esses papéis:

Densidades de 120g a 240g

Agora saímos das gramaturas baixas! Sabe o que isso significa? Que a partir daqui você pode criar impressos com mais qualidade.

Papéis com gramaturas entre 120g e 240g podem ser usados para criar folders, flyers e outros impressos, por exemplo, que exijam resistência.

Ou seja, se você quer fazer convites, existem alguns tipos de papéis que aceitam bem a gramatura 180g. Porém, outros impressos como cartões de visitas e postais ficam melhor em gramaturas acima de 250g.

Essas gramaturas são boas para: convites; folhetos; cartões de visitas; cartazes; fotografias; caixas e embalagens em geral; artesanatos e molduras, por exemplo.

Nesse caso, aposte nos papéis:

Gramaturas de 250g a 350g

Impressos que precisam ser manuseados com frequência, como por exemplo, cartões de visitas, panfletos, convites e cardápios são feitos em altas gramaturas. Normalmente, é usado o papel couché de gramatura ente 240g e 300g. Ou seja, quanto maior for a gramatura, maior será a qualidade e, também, o custo.

Mas cuidado para não exagerar! Você não precisa escolher a maior gramatura disponível. É possível optar por gramaturas menores e, mesmo assim, alcançar resultados excelentes.

E, sejamos sinceros: ninguém quer gastar mais do que é preciso, não é?! Deixe os materiais mais pesados (gramatura acima de 300g) para serviços especiais, como por exemplo, desenhos profissionais e aquarela.

gramatura de papel3

Os seguintes produtos são indicados aqui: convites; catálogos; folders; flyers; cartões de visitas; aquarelas; desenhos; artesanatos, por exemplo.

E esses são os papéis:

Gramagens com mais de 350g

Apenas impressoras muito específicas podem imprimir em gramaturas acima de 350g. Entretanto, existem aplicações que exigem este tipo de material.

É o caso do Fine Art, uma técnica de reprodução de obras de arte com a mais alta qualidade. Nesse sentido, as impressões Fine Art podem durar até 100 anos sem amarelar ou perder qualidade.

Extra: como descobrir a gramatura de um papel?

A maneira mais fácil de calcular a gramatura dos papéis é usar uma balança específica para pesar papel. Assim, você vai conseguir o resultado imediatamente, sem a necessidade de cálculos de conversão.

Porém, se você não quiser gastar dinheiro com isso, vamos aos cálculos (você vai precisar de uma balança digital):

  1. Pressione o botão de tara na balança e espere até apareça os números zeros;
  2. Coloque uma folha e aguarde o resultado.
  3. Multiplique a largura do papel pela altura, assim você irá descobrir a área;
  4. Divida o peso do papel pela área;
  5. Multiplique o resultado por 1000, isso irá converter o peso de kg/cm² para g/cm²;
  6. Multiplique o resultado por 10000, isso irá converter o peso de g/cm² para g/m²;
  7. Pronto! O esse resultado é a gramatura do papel.

Não basta ter um bom papel, é preciso ter uma boa impressora

Agora que você já sabe tudo sobre gramatura de papel, é importante lembrar que, para que a impressão seja 100% boa, você precisa ter uma impressora de qualidade, afinal, papel e impressão caminham lado a lado.

Veja como a Helioprint pode te ajudar com isso clicando aqui.

4 mitos e verdades sobre impressão gráfica e a tela digital

Para auxiliar na desmistificação desses mitos, a Helioprint chamou o engenheiro de produção especialista em tecnologia gráfica e palestrante, Robson Xavier.

Desde a época de Gutenberg a impressão gráfica vem se modificando. Para atender a demanda atualizada dos clientes cada vez mais exigentes, os profissionais esbarram em alguns mitos sobre a indústria gráfica.

Mesmo que as empresas busquem os melhores equipamentos e softwares, a relação expectativa versus realidade deve ser de relevância quando o assunto é impressão gráfica. Há promessas que são consideradas grandes mitos e não podem ser vendidas como verdades para os clientes e para a sua equipe.

Para auxiliar na desmistificação desses mitos, a Helioprint chamou o engenheiro de produção especialista em tecnologia gráfica e palestrante, Robson Xavier. Por meio da empresa Cor e Processo, Robson auxilia empresários e gestores da mídia impressa. Automatização de processos, aumento da produtividade e melhoria da qualidade de impressão gráfica fazem parte do dia-a-dia de Robson.

A conversa com o especialista aconteceu no início de abril no canal da Helioprint no YouTube. Aproveite para se inscrever e receber notificações sobre quando irá acontecer os próximos webinars.

A partir dessa conversa com Robson Xavier, separamos os 4 maiores mitos da indústria gráfica para esclarecê-los e te ajudar a entender um pouco mais sobre cada um deles.

Mito 1: As cores da impressão gráfica fica igual a tela

Ao longo dos anos padrões de cores foram criados para facilitar e democratizar as impressões gráficas. Atualmente os padrões mais utilizados são RGB e CMYK. Os softwares de design gráfico já permitirem que o arquivo seja salvo com o padrão desejado. Mas a falta de conhecimento pode ser um empecilho quando o assunto é expectativa de cores na impressão gráfica.

Antes de ser impressa, a arte foi criada ou copiada e visualizada em uma tela. Seja em um computador de mesa, celular, tablet ou notebook. Apesar de prático, o processo entre ver uma cor na tela e posteriormente em um papel não é tão simples.

Tudo que visualizamos em uma tela, está no padrão de RGB, que constitui a cor a partir das luzes que são projetadas em nossos olhos. Essas cores são vermelho (Red), verde (Green) e azul (Blue). Através desse padrão podemos ver as cores mais “vivas” e antes que gere dúvidas, todas as telas têm como base o RGB.

As cores que visualizamos na impressão, são constituídas através do padrão CMYK. As cores que denominam esse padrão são o ciano (Cyan), magenta (Magenta), amarelo (Yellow) e preto (blacK.)

O confronto entre expectativa e realidade se dá pelo simples fato de que o cliente vê a imagem em RGB, ou seja, na tela. E quando manda imprimir essa arte sai nas cores CMYK. Mesmo que seu cliente tenha a melhor tecnologia em sua tela, as cores serão vistas em RGB.

A promessa de que a impressão terá as cores fidedignas da tela é mito! Portanto, muito cuidado com a expectativa do seu cliente. A linha entre a satisfação e a frustração é muito tênue.

Mito 2: É possível imprimir 90% da escala Pantone

Antes de entender porque é um mito conseguirmos imprimir 90% da escala Pantone, é preciso compreender a importância desse sistema de cores.

Pantone é uma empresa considerada referência no mundo das artes gráficas quando o assunto é cores. A empresa é mundialmente respeitada pela sua tecnologia e reprodução bem sucedida de cores. A Pantone ficou conhecida como um padrão de cores que atualmente é utilizado pelo fabricante, design e até pelo consumidor.  

O sistema de cores da Pantone, é resultado da mistura de diversos pigmentos que dão vida a cores especiais. Como a tabela da Pantone possui uma variedade maior de cores do que o RGB e CMYK, as cores da empresa são consideradas o padrão da indústria.

Sendo assim, como o sistema para impressão das cores é baseado no CMYK, quando um material for impresso não há como chegar a 90% da escala Pantone. Assim como não podemos prometer uma impressão idêntica a tela, pois RGB e CMYK são distintas o mesmo vale para Pantone.

Como o sistema de cores Pantone é extremamente variado e o CMYK é limitado, contendo apenas as cores que já mencionamos acima, não é possível chegar a 90% da escala. Ou seja, mesmo inserindo mais cores ou fazendo junções, depende do ciano, magenta, amarelo e preto para representar pantones. Partindo desse conceito, “podemos afirmar que nosso alcance na impressão é dois terços da escala pantone”, afirma Robson Xavier.

Mito 3: Se você não faz, a outra gráfica faz

Com as explicações dos sistemas de cores e como eles são utilizados para cada processo, conclui-se que essa escala é padrão. Independente do equipamento da gráfica, o sistema de cores é igual. Na tela sempre será RGB, na impressão será CMYK, independente se a forma de impressão seja offset, digital, sublimação, entre outras.

Por isso, a frase “se você não faz, a outra gráfica faz” pode ser uma verdadeira cilada. O cliente final, uma agência ou qualquer tipo de solicitação que seja feita a uma gráfica, terá o resultado partindo de um sistema igualitário de cores. Por tanto, se você não faz, outra gráfica também não irá fazer.

Mito 4: Eu posso imprimir com exatidão as cores que eu vejo com meus olhos

Sabendo que as cores da impressão não ficam iguais as cores que estão na tela, partimos do pressuposto que não podemos imprimir com exatidão o que vemos com nossos olhos. Há uma distinção entre ver cores a olho nu, visualizar na tela e ver em uma impressão.

Quem nunca olhou para o céu no final da tarde, apreciou suas cores amareladas e tirou uma foto para registar o momento? Mas quando olhamos a foto a partir da tela do celular nos decepcionamos? Pois é, nossa capacidade de visualização a olho nu é infinitamente maior que a projeção da imagem em uma tela. Tão pouco uma impressão se igualaria a uma imagem vista a olho nu.

Existem três elementos que podem te auxiliar na compreensão do porquê não podemos imprimir com exatidão as cores que vemos com os olhos.

Entre esses três elementos os únicos que se modificam é o iluminante e o observador, pois o objeto será sempre o mesmo. Como dependendo da luz e de como está a visão do observador, as percepções podem ser diferentes.

“Com o tempo a nossa capacidade de enxergar muda. Eu, por exemplo, estou usando óculos, então a minha capacidade de enxergar uma cor mudou. Nós não podemos achar que sempre uma diferença de cor está no material. É muito comum que o iluminante seja o responsável”, explica o especialista Robson Xavier.

OKIDATA C911: Para quem mais precisa de alta definição

Velocidade e cores de alta definição são resultados da impressora OKIDATA C911. Ideal para impressões de artes gráficas e documentos de escritórios, a impressora A3 C911 possui um desempenho com velocidade de 50 ppm.

As impressões na OKIDATA C911 permitem uma impressão flexível em papel brilhante, papel de transferência, película e papel à prova de água. Partindo da lógica de cores padrões, a A3 C911 permite uma impressão para agências de publicidade, escolas de design e birôs de impressão.

Restou alguma dúvida sobre o equipamento? Fale com um de nossos especialistas.